Associação de Fuzileiros

 

Notícias

ASSOCIAÇÃO DE FUZILEIROS

50º ANIVERSÁRIO DA ESCOLA DE FUZILEIROS

3 de Junho de 2011

 

Sob a presidência do então Ministro da Defesa Nacional, Dr. Augusto Santos Silva teve lugar, no passado dia 3 de Junho, na Escola de Fuzileiros, em Vale do Zebro a comemoração do 50º aniversário da criação daquele estabelecimento de formação da Armada Portuguesa.

O acto, que teve todo o garbo e dignidade, apanágio dos Fuzileiros portugueses contou com a presença do Chefe e do Vice-Chefe do Estado-Maior da Armada, respectivamente, Almirante Saldanha Lopes e Vice-Almirante Carvalho Abreu (que anteriormente foi comandante do Corpo de Fuzileiros, com o posto de contra-almirante), entre outros oficiais-generais da Marinha de Guerra portuguesa.

Entre os convidados especiais, três são de destacar, a propósito dos quais importa fazer algumas referencias históricas:

O Comandante-Geral dos Fuzileiros Navais Brasileiros, Almirante-de-Esquadra (FN) Marco António Corrêa Guimarães.

(A Brigada Real da Marinha Portuguesa foi a origem do Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil. Criada em Portugal em 28 de Agosto de 1797, por Alvará da rainha D. Maria I, seguiu para o Rio de Janeiro, em 7 de Março de 1808, acompanhando, como corpo de guarda pessoal, a família real portuguesa que se transferiu para o Brasil, salvaguardando-se da ameaça de ficar prisioneira dos exércitos invasores de Napoleão I.

O Comando-Geral do Corpo de Fuzileiros Navais brasileiros está localizado na histórica Fortaleza de São José, Ilha das Cobras, na cidade do Rio de Janeiro tendo-se, ali instalado em 21 de Março de 1809).

Outro convidado de honra foi Alpoím Calvão. O Comandante Alpoím Calvão, figura de referência para os fuzileiros portugueses é sócio da Associação de Fuzileiros desde longa data, tendo sido recentemente distinguido, em Assembleia-Geral, como Sócio Honorário e eleito pelos respectivos membros do Conselho de Veteranos seu Presidente. Tendo sido um dos primeiros Directores de Instrução da Escola de Fuzileiros (entre 1966 e 1967) comandou uma das primeiras unidades de FZE´s em missão de serviço na antiga província da Guiné e é o único oficial oriundo da classe da Marinha que recebeu, até hoje, a mais alta condecoração das antigas Ordens Militares, a medalha de Torre Espada, do Valor, Lealdade e Mérito sendo, seguramente, o Oficial mais condecorado da Marinha de Guerra Portuguesa, precisamente pelos serviços prestados como oficial fuzileiro especial.

Convidado muito especial foi, também, Pascoal Rodrigues, ex-Oficial Fuzileiro a residir há anos no Brasil que se deslocou, expressamente, a Portugal para estar presente na efeméride.

Pascoal Rodrigues, então segundo-tenente, chefiou um grupo de três praças da Marinha que, em Agosto e Setembro de 1960, frequentaram em Inglaterra, um curso dos Royal Marines ingleses, e que vieram a ser os primeiros instrutores dos fuzileiros portugueses.

Do grupo de marinheiros MAN fizeram parte Ludjero dos Santos Silva (Piçarra), Mário José Batista Claudino e João Cândido dos Santos Santinho, sendo que apenas o primeiro está entre nós.

Da cerimónia comemorativa que decorreu na Escola de Fuzileiros é de assinalar que esta se efectuou, como sempre, com um aprumo exemplar.

Foi celebrada ainda uma missa campal, tendo a viúva, filhos e netos do primeiro Comandante da Escola (28/7/961 a 31/7/965) o então Capitão-Tenente Melo Cristino (depois, Vice-Almirante) descerrado uma placa que passou a perpetuar o seu nome numa parada (a hoje conhecida por parada velha).

Em perfeita sintonia e cooperação com a autarquia do Barreiro, abriu-se a Escola a centenas de crianças, onde passaram uma manhã recheada de actividades lúdicas.

Teve lugar ainda um concerto pela Banda da Armada no Barreiro, cuja actuação foi saudada e apreciada pelos presentes.

A actual estrutura organizativa dos fuzileiros navais portugueses foi criada, oficialmente, por lei, a 24 de Fevereiro de 1961, sendo estabelecido, então, que haveria duas especializações: a de monitor (IM) e a de fuzileiro especial (IEP).

Os fuzileiros comemoraram, portanto, este ano o seu 50º aniversário da sua recriação.

O primeiro curso de fuzileiros teve lugar no Verão de 1961, tendo decorrido no então Corpo de Marinheiros, em Vila Franca de Xira, (que foi depois o Grupo 1 de Escolas da Armada e, posteriormente, a Escola de Tecnologias Navais).

O curso foi dividido em duas fases – a primeira com início a 5 de Junho de 1961, e a segunda a 14 de Agosto. Teve a frequência de 40 praças (que vieram a fazer parte do primeiro Destacamento de Fuzileiros Especiais) e ainda dos 1ºs Tenentes Coelho Metzener e Maxfredo da Costa Campos e pelos 2ºs Tenentes Mendes Barata, Vasconcelos Caeiro e Oliveira Rego.

A Associação de Fuzileiros pretende prestar com esta notícia a sua homenagem à “Escola Mãe” – a Escola de Fuzileiros – assinalando o meio século da sua existência.

 

A Redação

 

 

 

Voltar